A-crônica-de-Eastar_thumb

Olá galera amante da leitura e da fantasia!

Hoje o R2PG veio mostrar a light novel brasileira A Crônica de Eastar e, de quebra, apresentar a entrevista exclusiva com seu autor, Henrique Zimmerer.

A OBRA

A crônica de Eastar

A Crônica de Eastar é uma história muito original, que começa na criação do universo como o conhecemos e o decorrer dos milênios de um ponto de vista inusitado: o das estrelas. A trama foca em um ser estelar em especial, Eastar, um jovem aspirante a soldado que viaja para a Terra pela primeira vez.

A editora Craft traz a obra em uma capa em papel couchê fosco 250g com laminação fosca. As lindas palavras da trama são impressas em papel offset ou avena, ambas as opções com densidade 80g.

A ilustração da capa é de Danilo Sant’anna de Quadros e as ilustrações internas são de Roberto Fernandes.

A CRÔNICA DE EASTAR

E se as estrelas não fossem o que pensamos? E se elas fossem soldados de uma legião que observa e protege a vida nos planetas?

Um mundo onde, devido aos constantes conflitos terráqueos, o sol e a lua decidem mudar o futuro ao permitir que as estrelas convivessem com os humanos.

É nesse mundo que um jovem estelar nasce.

Dois milhões de anos se passam, e este garoto, agora perto da fase adulta, desce ao planeta Terra tomado por nada mais que a curiosidade. O que ele não esperava era ser levado para algo que lhe daria mais responsabilidade do que ele jamais imaginou querer carregar.

Agora ele precisa aprender como os terráqueos vivem, não só como se relacionam e como lutam, mas também como amam.

ENTREVISTA:

R2PG: Quem é Henrique Zimmerer? Fale um pouco sobre você.

Henrique Zimmerer

Henrique Zimmerer: Sou um cara do interior de Minas Gerais, nasci em Almenara, no Vale do Jequitinhonha.

Passei boa parte da vida nessa cidade, me fascinando com revistas em quadrinhos, livros e filmes de fantasia.

Com 17 anos fui pra BH fazer faculdade de Arquitetura e, bem, não deu muito certo. Passava as aulas escrevendo e chegou um momento em que não conseguia mais me ver naquele lugar. Passei anos naquela faculdade, mas acabei largando e voltando pra minha cidade, desde então me dedico mais a escrita enquanto trabalho em um bar dos meus tios.

Sou fascinado por animes, fantasia medieval e super-heróis, foi com essa mistura que acabei criando o Eastar.

R2PG: A Crônica de Eastar é sua primeira obra?

Henrique Zimmerer: Sim, trabalho nela faz quatro ou cinco anos… Talvez mais (minha memória é horrível).

R2PG: A Crônica de Eastar é uma light novel agradável e divertida. Esse era o formato planejado desde o início?

Henrique Zimmerer: Na verdade, não. (risos)

Sempre gostei de comédia e isso realmente se manteve, mas a história, no início, seria um romance mais denso, descritivo e cheio de críticas e analogias ao que vivemos.

No entanto, na época aconteceram duas coisas. Primeiro, eu estava lendo A Crônica do Matador do Rei, uma saga de Patrick Rothfuss. A maneira como esse autor criava um clima de vida cotidiana em um livro de fantasia ficou preso na minha mente. Fiquei completamente admirado, percebi que era o que eu queria pra minha história. Nessa época também foi quando eu mais me envolvi com animes, chegando a assistir 100 diferentes em um ano, assim fui apresentado às light novels, histórias leves e dinâmicas muito populares no Japão.

Essas foram as duas principais causas de A Crônica de Eastar ter o estilo de escrita que tem hoje.

R2PG: Eastar é um personagem especial desde o nascimento, mas que ainda precisa aprender muito para ser capaz de encarar sua jornada.
Essa fórmula, muito útil e de fácil identificação, é usada desde os épicos gregos.
Fale um pouco sobre seu protagonista, no quê ele se distingue dos heróis épicos?

Henrique Zimmerer: Eu criei o Eastar realmente tentando voltar um pouco ao herói clássico. Estava (e ainda está) na moda os anti-heróis, mas meus maiores ídolos eram o Homem-Aranha e o Superman. Sou um cara otimista, sempre gostei da ideia de que as pessoas são boas por natureza e que a sociedade as corrompe, e é isso que tento passar com o Eastar, a inocência e ingenuidade dele diante de um mundo que ele vai descobrir aos poucos. Acho isso incrível, e o aprendizado pode gerar ótimas cenas de humor.

No entanto, tem algo que diferencia o Eastar do que geralmente vemos por aí.

Os heróis costumam ser levados a aventura por acaso, o destino os põe em uma situação na qual eles terão que se tornar heróis. O Eastar foi criado para ser um. É isso que soldados estelares são, heróis que protegem a vida, e é isso que ele quer ser desde que se entende por gente. Ele busca a aventura, não é encontrado por ela.

R2PG: Quanto aos outros personagens, há algum que seja seu preferido?

Henrique Zimmerer: Difícil… Cada um tem algo que amo… Mas se fosse pra escolher 3 seriam a Sindar, o Aros e o Edwin.

R2PG: Apesar de parecer uma aventura medieval, a história se passa em um futuro distante. Há algum motivo especial para isso?

Henrique Zimmerer: Bem, a ideia da história veio de um pequeno texto que fiz uma vez onde contava sobre uma estrela que viu muito e que acompanhou a humanidade, mas que nada o impressionou tanto quanto uma jovem tocando alaúde no alto de um morro.

Acho que a ideia de um futuro pós apocalíptico onde a humanidade recomeçou já veio desde o início, talvez por influência de livros como A trilogia dos espinhos. Queria a ideia de um mundo que tivesse um passado que lembrasse o nosso, um mundo paralelo com muitas semelhanças e algumas diferenças óbvias.

R2PG: A religião é um tema recorrente na trama. Isso foi planejado desde o início?

Henrique Zimmerer: Sim, a verdade é que eu amenizei um pouco. A ideia de ter seres celestiais com uma compreensão maior de mundo abria espaço para criticar a ideia que nós, humanos, temos de que sabemos muito quando na verdade não sabemos quase nada. A religião dos sacerdotes foi algo em que pude mesclar tanto a crítica sobre religião, quanto sobre a astrologia.

Lembrando que não sou contra nada disso, mas criticar é ver que há lados ruins que devem ser combatidos e melhorados.

R2PG: Você comenta no posfácio que joga Tormenta RPG. Alguma campanha sua serviu de inspiração em algum ponto?

Henrique Zimmerer: Na verdade foi mais o contrário. Claro, se prestarmos atenção, temos um grupo de RPG em A Crônica de Eastar, saindo pra uma aventura. No entanto, o Eastar até mesmo deu o nome pra um dos meus personagens em uma campanha, mas enquanto ele é um guerreiro, eu prefiro jogar de ladino.

Inclusive o fato do Eastar despertar minha paixão pela leitura fez com que eu começasse a escrever sobre uma campanha de Tormenta RPG que jogo há quatro anos. É a história da campanha pela visão dos personagens, eu não tenho controle sobre a história, então é tudo muito divertido e inusitado. Inclusive, a história está disponível no wattpad pra leitura gratuita.

R2PG: Como foi o processo de publicação de A Crônica de Eastar?

Henrique Zimmerer: Lento. (Risos)

Bem, foi a minha primeira publicação, sendo assim, foram muitas tentativas e erros. Passei um bom tempo no wattpad pra testar a história, a aprovação estava boa então comecei a investir, revisei toda ela, contratei ilustradores (muito bons, inclusive) e resolvi que era hora, estudei para descobrir como diagramar o livro.

Depois de muito estudo e muita revisão, fiz uma vistoria em gráficas, assim como uma parceria com a Craft Comic Books, que faz livros por encomenda customizáveis, e finalmente pude ter os livros físicos pra um lançamento oficial.

R2PG: Onde se pode adquirir sua obra?

Henrique Zimmerer: A crônica de Eastar está à venda na versão física aqui. (Com desconto especial para os seguidores do R2PG, utilizando o cupom R2PG)

Em e-book (sem ilustrações) na amazon.

Tem também o e-book de um outro livro, de romance escolar (sim, bem diferente de A crônica de Eastar) aqui.

R2PG: A continuação da saga de Eastar já está a caminho?

Henrique Zimmerer: Sem dúvida! O livro dois já está quase pronto, e o três também. Não darei uma data, pois não sou tão pretensioso, mas pretendo lançar no início do ano que vem. O três no fim do ano, ou no início de 2020.

R2PG: Que maravilha! Já estou ansioso!
Alguma consideração que gostaria de fazer?

Henrique Zimmerer: Primeiro de tudo, muito obrigado pela entrevista e pelo espaço para falar dessa minha paixão.
Segundo, para os amantes de fantasia: Leiam A Crônica de Eastar, é sério, vocês não têm ideia do que os espera!

R2PG: Eu que agradeço e parabenizo pelo excelente trabalho. Muito sucesso para você!

Então é isso pessoal, espero que curtam As Crônicas de Easter e aproveitem o desconto pra garantir sua versão física!

Ah aproveita e comenta aqui pra gente outras novels brasileiras que vocês conhecem! E deixem a opinião de vocês sobre Eastar caso já tenham lido!

mm

Classes: Compositor 6º, Viajante para o Passado 4º, Leitura não-popular 5º