RPG-Descrição-de-Combate_thumb

O combate sem sombra de dúvida é ponto alto em qualquer RPG, seja uma fantasia medieval ou até mesmo um jogo de investigação ou terror, combates são sempre interessantes!

Por isso resolvi trazer para vocês hoje algumas ilustrações para inspirar suas mentes para tornar os combates em suas mesas mais memoráveis. E junto a estas ilustrações quero fazer um pequeno resumo de alguns assuntos que já abordamos aqui no site, e como usados em conjunto eles podem transformar um simples combate em sua mesa, em algo surpreendentemente divertido e empolgante.

Primeiro de tudo, DESCRIÇÃO. Lembre-se dos pilares de uma boa descrição, Momento, Ambiente, Personagem e Fato… antes de dar início ao combate você deve ambientar bem os jogadores, eles devem estar cientes do ambiente a sua volta, estão em um ambiente fechado? Aberto? Qual o espaço disponível para se movimentar, há objetos/pessoas/acidentes geográficos próximos? Seja detalhista, mas também não tome muito tempo com isso, afinal o foco aqui é o combate. Explane rapidamente sobre o tempo, o sol está a pino? Está chovendo? Qualquer coisa que possa interferir no combate deve ser citada.

Quanto aos inimigos, bom eu duvido que alguém parta pra briga sem pelo menos dar uma boa olhada em seu adversário. Novamente tudo que possa ser importante para o combate não pode ser deixado de lado, como detalhar quão grossa e dura aparenta ser a carapaça do monstro a sua frente, ou quão pesada parece ser a espada gigantesca que o cavaleiro inimigo carrega sem o menor esforço aparente.

Esse tipo de informação vai fornecer dicas importantes para os jogadores, como quando é a hora de recuar, ou que um combate direto talvez não seja a melhor opção, isso irá faze-los parar e pensar um pouco sobre a estratégia do combate, diferente de você apenas dizer: “Então surge um orc com um machado grande, suas roupas são feitas de peles de animais mortos amontoados e costurados toscamente. ”. Os jogadores vão se entreolhar, “ah é só um orc, no máximo ele é um bárbaro e vai ter uma fúriazinha, vamos meter a porrada! ”

Seja você adepto do uso do grid ou não, seu dever como mestre é manter os jogadores sempre cientes do que está acontecendo e de onde estão na cena. Eu particularmente não sou muito fã de usar grids, eu acho que eles engessam a liberdade durante o combate, mas isso é uma opinião totalmente idiota minha, se você gosta, se acha que vai ajudar em sua mesa use o grid!

Mas lembre-se isso não é um JRPG onde os jogadores ficam parados no mesmo lugar distribuindo supapo. A cada golpe há sim uma movimentação, ninguém fica parado durante um combate, a não ser que queira morrer. Deixe seus jogadores cientes disso, mesmo que ele não se mova no grid, deixe claro para o jogador que ele não está parado, ele deve fazer um jogo de pés para se esquivar, se defender, pegar algum impulso para atacar com força total fazendo um balanço de corpo e por aí vai.

E conforme o combate for se desenrolando vá adicionando elementos que estão sendo percebidos ao decorrer do mesmo. A sensação ao acertar o golpe, o cheiro de terra e sangue que se misturam após alguns golpes, os sons da batalha. Descreva essas nuances do combate, isso deixará seus jogadores extremamente imersos na cena.

Não vou me aprofundar muito em como descrever por exemplo o dano causado, estratégias, armaduras, manobras porque já falamos sobre tudo isso nos vídeos e vou deixar apenas o link aqui para vocês. Então veja tudo isso na nossa Playlist de Combate!

Continuando, sinto-me na obrigação novamente de explicar que tudo que estou falando aqui são algumas dicas que você pode usar ou não em sua mesa, não existe um jeito certo, muito menos um errado, então sinta-se livre para narrar da forma que quiser!

Bom como disse há diversas formas de descrever as ações durante o combate, há mesas que jogam de forma bem direta, escolhe o “tipo de ação” – atacar, lançar magia, movimentar, usar item – rolam os dados e executam os resultados – x de dano, o ataque errou, a magia funcionou, o item foi utilizado e seu efeito foi resolvido –  totalmente valido mas acho nada imersivo.

Há aqueles que executam o combate como dito a cima e depois o mestre descreve mais detalhamento o combate como um todo. Lindo, mas novamente não acho tão imersivo, não acho que isso guia os jogadores para dentro do combate.

Ah ainda aqueles que os PJs escolhem seu tipo de ação lançam os dados e o Mestre toma a frente e descreve de forma mais detalha e rica as consequências daquela ação. Como o personagem realizou seu ataque, a resposta do defensor, e as consequências. Ai já estamos começando a nos entender, mas novamente, não é o meu ideal.

Tá, chatão… e aí? Como faz então?

O jogador descreve sua Intenção, – Eu vou me aproximar rapidamente do inimigo, segurando a espada com as duas mãos vou fazer um grande balanço da esquerda para a direita, tentando acertar o inimigo na altura da cintura. – Agora o inimigo descreve sua intenção de defesa – Vou me jogar para traz para sair do alcance da espada do inimigo, puxando minha cintura para traz e jogando os braços para frente formando um C com meu corpo para o golpe não me atingir – Agora são rolados os dados (de acordo com a descrição do ataque eu diria que é um ataque poderoso, utilizando as regras do Tormenta RPG -2 no ataque +4 no dano), e de acordo com o resultado do teste o mestre descreve o resultado da cena.

Se o ataque superou a CA o mestre pode narrar que o movimento de espada foi mais rápido do que o defensor esperava e acabou por acerta-lo, ou até mesmo que ele foi bem-sucedido em seu movimento, mas calculou mal o alcance da espada que o acertou na barriga de leve, depende do dano causado pelo ataque. Afinal se deu um dano mínimo porque dizer que foi um golpe em cheio? Se o ataque errou o defensor foi bem-sucedido em seu movimento e saiu do alcance da espada, mas isso pode ser interpretado de diversas formas pelo ataque. O inimigo é muito rápido, então golpes com balanço longo (leia ataque poderoso) vão ser difíceis de acertar, vou ajustar minha estratégia. Ou o ataque passou bem perto de acertar e cortou as roupas do inimigo, então foi uma esquiva de sorte, na próxima eu acerto!

Dependendo das ações dos jogadores em relação a física do jogo, você pode dar bônus ou penalidades por certos tipos de movimentos. Geralmente os sistemas já tem mecânicas próprias para manobras de combate, mas caso não aja uma mecânica específica para a vantagem que surgiu você pode usar efeitos semelhantes para beneficiar os jogadores.

Enfim, cada mesa é uma mesa e cada pessoa tem seus gostos pessoais, não use nada dito aqui como regra, desenvolva seu próprio estilo em conjunto com sua mesa, assim todos irão se divertir e aproveitar ao máximo o potencial de cada combate na mesa.

Antes de finalizar quero dar um exemplo de como eu descreveria alguns combates, e para isso vou mostrar como eu descreveria as cenas a seguir em minha mesa.

Preparação/Ambientação para o combate

aurelie-laget-warhammer-foret

Narrador: Então vocês estão em uma clareira em meio a uma floresta bem densa, ela tem por volta de uns 15metros de diâmetro, a floresta é densa e as arvores são bem altas e largas, suas raízes algumas raízes caminham para dentro da clareira, ela tem um mato baixo e vocês estão localizados próximos ao centro dela.

Vocês ouvem o barulho que vem da floresta, passos pesados, alguns galhos quebrando, um barulho seco como se alguém batesse com algo em uma das arvores, os sons vêm de todos os lados… Não é como se fossem sofrer um ataque surpresa, vocês estão cercados e os inimigos fazem com que vocês tenham certeza disso! O que vocês fazem?

Jogador 1: Ah eu me armo, vou sacar a espada e a lança e tomar posição de combate, vamos ficar meio que uns de costas para os outros para não sermos flanqueados.

Jogador 2: É mesma coisa aqui, e vou sacar a lança e me preparar para o combate.

Jogador 3: Então vou conjurar uma magia de buff aqui antes que eles apareçam.

Narrador: Okay, vocês se preparam e criaturas humanoides, grandes, altas e corpulentas, carregando armas grandes, começam a surgir por detrás das arvores. Ao se aproximarem mais vocês conseguem perceber o tom esverdeado de suas peles, suas presas a mostra, e aquela expressão raivosa, são orcs, mais precisamente 6 deles cercando vocês. Todos eles estão armados, alguns com machados duplos, outros com espadas grandes, suas armaduras possuem um certo padrão, ombreira direita de ferro, com espinhos, de resto a armadura é mais leve talvez para facilitar o movimento por dentro da floresta, então são emaranhados de couro costurado nos pontos importantes, como nos braços, cobrindo uma parte do peito, coxas e canelas. Iniciativa!

Combate

Narrador: Então o ogro desfere seu ataque, ele se move na direção do jogador 1, ele dá um passo e lança o braço dando uma pancada de baixo para cima, o braço do ogro é mais ou menos do tamanho do teu tronco.

Jogador 1: Eu vou tentar me esquivar, vou dar um rolamento para o lado.

– Lança os dados

Narrador: Você tentou se jogar para o lado para sair do alcance do braço do ogro, mas ele foi mais rápido, o braço dele sobe com agressividade te acertando no meio do movimento, ele acerta no teu flanco e te arremessa pelo ar, parece que tu foi acertado por um aríete, você voa uns 2metros até cair de lado no chão.

Jogador 2: Vou aproveitar a abertura para atacar o Ogro por cima do ombro esquerdo, vou correr pular e tentar dar uma machadada no pescoço dele.

Narrador: Você recebe o bônus de flanquear, quando você está no meio do salvo balançando o machado o ogro tenta girar um pouco o corpo para evitar sofrer o golpe numa área letal. Ele joga o ombro em sua direção para evitar que você acerte seu pescoço.

– Lança os dados

Narrador: Então o ogro se move e você crava o machado em seu ombro, não foi o golpe letal que você esperava mais causou um dano, a lamina entra uns 4 dedos na pele dura do ogro e ele solta um urro de dor.

Jogador 3: Começo a conjurar as palavras magicas, “ozanark, premeditum…” enquanto faço movimentos circulares com as mãos, um pequeno rastro azulado vai se formando no ar… vou conjurar Blizzard e atacar ele.

– Lança os dados

Narrador: Você termina de recitar as palavras e lança as mãos em direção ao ogro, uma lufada congelante acerta o ogro em cheio, conforme a corrente de ar fria e azulada passa por ele pequenos cristais de gelo vão se formando em sua pele, ficando com um tom azulado. A tanga do ogro está completamente congelada.

Jogador 4: Eu me aproximo correndo, pegando um certo ângulo, fazendo uma curva, a ideia é escorregar por de baixo do ogro e cortar a perna dele.

Narrador: Então ele vê você vindo e se prepara para te acertar, ele fecha a mão e levanta o punho…. Como é uma investida você ataca primeiro e depois eu lanço o ataque de oportunidade por entrar na área do inimigo.

– Lança os dados

Narrador: Como você deu uma investida, você foi bem rápido, escorregou por entre as pernas do ogro, sua espada passou pela coxa dele abrindo um corte profundo, sangue espirrou em seu rosto e ombro direito, você sentiu aquela criatura perder um pouco do seu equilíbrio. E nesse momento você sente o vento e o tremor na terra logo atrás de você, Pooooowww, o ogro enfiou a mão na terra como uma rocha, por pouco ele errou sua cabeça e você sai se levantando atrás do ogro.

 

Então é isso pessoal, segue para vocês algumas imagens para inspirar cenas memoráveis para seus próximos combates. Não deixa de comentar aqui como vocês descrevem o combate em sua mesa, se curtiu alguma dica, e tudo mais. Como você descreveria essas cenas na sua mesa?

Use e abuse da sua criatividade e crie cenas memoráveis! 1000 de XP e até a próxima aventureiros!

 

Salvar

Classe/Nível: Web Designer 5°, Músico 3°, Chef 1°