3 Mangás que foram escritos por mulheres e você não sabia

Fala galera, venho hoje honrar as nossas todas poderosas mulheres.

Estou falando de uns mangas/animes que muitos homens adoram e claro nunca procuraram ver quem era o autor (Eu sou um desses), tive ótimas surpresas quando dei uma xeretada nos autores de algumas obras.

Da uma olhada nessa lista:

Inuyasha

InuYasha por Rumiko Takahashi

Rumiko Takahashi é uma mangaká japonesa que tem diversos trabalhos conhecidos publicados, como Ranma ½, InuYasha e mais recentemente Kyoukai no Rinne, entre vários outros trabalhos. Rumiko Takahashi é conhecida como a Princesa (já rainha) do Mangá e já foi tida como a mulher mais rica do Japão.

Suas obras são caracterizadas pela comédia romântica, e por aspectos da vida cotidiana mesclados à fantasia. Quando vejo um anime de Rumiko Takahashi já sei dizer que é dela, pelo traço, pela semelhança, pela linearidade da história, triângulos amorosos. Por exemplo, os protagonistas InuYasha (meio youkai, meio humano), Ranma (meio homem, meio mulher) e Rinne (meio shinigami, meio humano) e a semelhança entre alguns personagens de obras diferentes, e a semelhança de situações também, que fazem lembrar, como o modo como algum personagem aleatório entra em cena sempre na pior hora, interrompendo alguma coisa ou interpretando de forma errada, ou os personagens que ‘atrapalham’ o casal principal…

Os animes são extremamente divertidos (e em geral, fieis aos mangás), até os mais antigos, como Ranma ½ , que encanta até hoje, e vão continuar encantando pois as obras da Rumiko-sensei não envelhecem!

Mangá foi lançado aqui no Brasil em 112 volumes pela editora JBC.

Foi adaptado para um anime, que foi cancelado no episódio 167, mas que, para a ‘nossa alegria’ (entendedores entenderão a piada velha, não pude resistir), retornou cerca de 5 anos depois, com o subtítulo Kaketsu Hen – ou The Final Act – contendo mais 26 episódios que contam o final da história.

InuYasha chegou a ser dublado e passou na TV aberta do Brasil, mas não cheguei a assistir, assisti posteriormente, tudo legendado, e quando vi um episódio dublado achei tão esquisito, estranhei bastante as vozes, e “Senta!” não parece ter a mesma emoção que “Osuwari!”, também a adaptação de ‘Agome’ para o nome da Kagome ficou estranho. O anime tem bastante fillers, os episódios não acrescentam em nada para a história, mas cumprem o papel de entretenimento! O diferencial entre InuYasha e as outras obras de Rumiko Takahashi é que este anime é um pouco mais ‘carregado’ em relação aos outros, tendo a presença constante de um único inimigo forte, e também de um pouco de drama, que não é usual nos outros mangás da autora, sendo mais animados, leves e engraçados.

ao-no-exorcist

Ao no Exorcist por Kazue Kato

Kazue Katō, nascido em 20 de julho de 1980, no distrito de Shinjuku, em Tóquio, é uma mangaká japonesa, autora de mangás shōnen. Ela é conhecida principalmente como autora de Blue Exorcist. Ela também criou Robot para Usakichi, pelo qual recebeu um prêmio: Prêmio Osamu Tezuka.

Blue Exorcist, também conhecido como Ao no Exorcist, é uma série de mangá escrita e ilustrada por Katou Kazue. O mangá é serializado na revista mensal Jump Square da editora Shueisha desde abril de 2009, com os capítulos individuais compilados em 17 volumes a partir de 4 de julho de 2016. A história gira em torno de Rin Okumura, um adolescente que descobre que ele é o filho de Satã nascido de uma mulher humana e é o herdeiro dos poderes de Satã. Quando Satã mata o guardião de Rin, ele decide se tornar um exorcista para derrotar seu pai.

FullmetalAlchemistBrotherhood

Fullmetal Alchemist por Hiromu Arakawa

Hiromu Arakawa é uma mangaká japonesa nascida em Hokkaido. Seu mangá de renome, Fullmetal Alchemist, transformou-se num sucesso nacional e internacional, e posteriormente foi adaptado em duas séries de anime.

Ela muitas vezes retrata a si mesma como uma vaca de óculos, pois nasceu e foi criada em uma fazenda de gado leiteiro com três irmãs mais velhas e um irmão mais novo. Seu nome de nascimento é Hiromi. O primeiro caractere de seu nome é escrito de forma idêntica ao nome masculino Hiromu. Arakawa escolheu esse nome como seu pseudônimo.

Quando dois irmãos, Edward e Alphonse Elric tentam reviver a sua mãe usando Alquimia, algo sai muito errado. Edward perde a sua perna e o seu braço, e Alphonse perde o seu corpo por completo. Agora, alguns anos depois, Edward se torna aquilo que conhecem como “Alquimista Federal”, ou seja, um alquimista reconhecido nacionalmente. Juntamente com Alphonse, cujo o espírito está preso em uma armadura de metal e com os seus “Automail” da perna e do braço, Edward e Alphonse partem   busca para restaurar o seu estado natural.

Então pessoal quis mostrar para você em forma de biografia um pouco do trabalho de 3 grandes mangakás, suas obras são conhecidas mundialmente e seus trabalhos são belíssimos ao seu modo.

Fico feliz em trazer para vocês esse artigo, procurem ler mais essas grandes obras não apenas assistir, tem muita coisa que não é colocado nos animes que tem no mangás, pequenos detalhes que as autoras colocaram que algumas vezes são cortadas pelas produções dos animes.

Ate à próxima, um beijo do gordo!

mm

Classe/Nível: Devorador de Livros/Mangas/HQs 12°