Olá amigos roleplayers hoje falar um pouco sobre um dos pilares do RPG, a descrição! Mas seria um pouco estranho falar de descrição sem antes falar um pouco sobre narrativa. Afinal de contas jogar RPG é narrar uma historia, e mesmo as melhores historias podem ser estragadas por uma narração ruim.

Então pra começar vamos falar um pouco sobre Narração:

Tokien é um mestre da arte da descrição.
Tokien é um mestre da arte da descrição.

Narrar é relatar fatos e acontecimentos, reais ou fictícios, vividos por indivíduos, envolvendo ação e movimento.
A narrativa é composta de:
Fato: que deve ter sequência ordenada; a sucessão de tais sequências recebe o nome de enredo, trama ou acção (a cena ou ação);
Personagem: quem esta envolvido no fato (PJs e NPCs);
Ambiente: o lugar onde ocorreu o fato (cenário);
Momento: o tempo da ação.

Em qualquer narrativa estarão sempre presentes o fato e a personagem, sem os quais não há narração.
Na composição narrativa, o enredo gira em torno de um fato acontecido. Toda história tem um cenário onde se desenvolve. Desta forma, ao desenrolarmos a trama, o enredo, teremos, obrigatoriamente, de fazer descrições para caracterizar tal cenário. Logo: NARRAÇÃO ENVOLVE DESCRIÇÃO.

No RPG de mesa assim como nos livros geralmente não temos recursos visuais (fotos e desenhos) de tudo que aparece ao redor dos personagens e devemos então descrever de forma a que o jogador/leitor possa se situar no ambiente. Então é dever do mestre/narrador descrever os locais por onde os PJs passam, as pessoas e criaturas que veem, o clima, a iluminação, os sons, os cheiros, as texturas, praticamente tudo captado pelos sentidos dos personagem.

Uma boa descrição requer uma observação criteriosa ressaltando os detalhes. Vejamos então, como fazer uma boa descrição de:

King Of The HammersPessoas: Geralmente quando falamos de uma pessoa, lembramos de seu modo de sorrir, de sua estatura, do formato do rosto, e assim por diante. Portanto, ao retratar alguém no papel você pode salientar algumas peculiaridades físicas, como: altura, cor da pele, cor dos olhos e cabelos, peso, modo de vestir, tom da voz, etc.. Também deverá apontar características psicológicas: temperamento aparente, modo de se expressar, modo de falar, etc.

 

evgeniy-musienko-templeLugares: Há vários elementos que você pode citar. O importante é que o jogador se sinta no local descrito. Para isso, observe se este lugar é fechado ou aberto. Se fechado, descreva sobre as cores da parede, da cortina, da porta; o tipo de piso, a maneira que os objetos estão dispostos, a luminosidade; o sentimento provável de quem fica no ambiente por muito tempo, etc. Se aberto, fale sobre o pano de fundo local, se há árvores, animais, que tipo de animais, se há grama e qual a sensação de pisar nela (se for o caso), se há frutos nas árvores ou se elas estão secas, o clima, a temperatura ambiente, os aromas, os sons, etc.

artem-artificial-artem-artificial-3bd-5n-8e78Objetos: Observe o formato (redondo, triangular), a dimensão (largura, altura, espessura), o material de sua composição, a aparência (cor, brilho, peso, textura), se é velho ou novo, se há manchas ou algo que indique que é velho (folhas amareladas), sua utilidade, seu valor, etc.

Mas como descrever tudo isso a cada instante seria impossível e extremamente chato, vamos dar umas dicas do que focar na descrição de suas cenas.

Defina prioridades: Se os jogadores entram em uma taverna igual a dezenas de outras que já passaram não perca tempo narrando o que há de igual, descreva apenas os pontos diferentes e que chamariam atenção. Não há porque ficar descrevendo 5grupos que estão na taverna quando apenas um chamaria atenção dos aventureiros, diga apenas: “Ah 5 grupos de pessoas na taverna, cada um contendo de 3 a 6pessoas, maioria camponeses, ja o grupo sentado ao fundo da taverna parece um grupo de mercenários…” e então descreve os personagens. No mesmo esquema, você evita ficar falando o obvio e destaca o diferente, se você falou que um deles é bem alto, tem mais de 2m de altura, e não descreve mais tamanho de ninguém fica claro que eles tem altura medianas.

Desafie a imaginação dos jogadores: Sempre que um monstro ou criatura nova aparecer na frente de seu grupo em vez de nomear a criatura “Vocês veem uma manticora”, apenas descreva a criatura e deixe que eles descubram que criatura é:

“Vocês veem uma criatura animalesca, o corpo se assemelha a de um leão gigante com 3metros de altura e asas gigantescas, como as de um dragão, membranosas e com garras nas pontas… Sua face não parece de um leão, é algo humanoide, um rosto grande e deformado de uma besta, seu pelo é muito grosso, como se fossem farpas, espinhos longos e afiados saem de sua espinha dorsal, sua calda é bem longa com espinhos na ponta, um pouco parecida com a de um escorpião.”

manticore_by_kikicianjur-d384nro

Descreva detalhes ao decorrer das cenas: Para que a descrição não fique muito extensa e cansativa narre mais detalhes ao decorrer da cena, no mesmo exemplo:

“Vocês veem uma criatura animalesca, o corpo se assemelha a de um leão gigante com 3metros de altura e asas gigantescas. Possui o rosto grande e deformado de uma besta, espinhos longos e afiados saem de sua espinha dorsal, sua calda é bem longa com espinhos.”

“Ao se aproximarem da manticora ela muda de expressão, seu rosto possui traços humanoides, o que deixa bem claro as suas intensões.”

Após um ataque do guerreiro que não deu muito certo o mestre pode acrescentar: “ Sua espada resvala na pelugem grossa e dura, parecem farpas de aço, faiscando enquanto sua espada corre por ela.”

E por ai vai…

serifcan-durmaz-ss-2Nunca se esqueça dos outros quatro sentidos: Muitas vezes focamos na descrição do que os jogadores veem e esquecemos dos outros sentidos. Sempre que a temperatura mudar descreva a sensação, principalmente com as mudanças da estações (no brasil não estamos muito habituados com isso, provavelmente falaremos sobre isso no “subindo o nível”) a sensação da chuva, aquele frio na espinha e pelos ouriçados quando a situação fica macabra. Os aromas do campo, o cheiro de fezes abafado dentro de uma caverna…. Não tenha vergonha de reproduzir os sons feitos pelas criaturas e monstros. E descreva os sabores das comidas novas e fabulosas que seus aventureiros provarem, as nuances das cervejas anões, isso cria uma profundidade na campanha e faz os PJs criarem laços com lugares e coisas.

O importante é praticar, tente sempre ser detalhista e quando ver que esta ficando demasiado pare, use as dicas e vá pegando o ritmo da coisa, acostume-se com seus jogadores e que tipo de detalhes os empolga mais.

Desculpem se o texto ficou muito longo, sei que as vezes sou prolixo, estou trabalhando nisso… Bom por hoje é só, espero ajudar os mestres iniciantes e relembrar alguns pontos que ate mesmo o mais experientes as vezes se esquecem.

Boas narrativas e até a próxima! 500 de XP!

Salvar

Classe/Nível: Web Designer 5°, Músico 3°, Chef 1°